O ex-atacante Faustino Asprilla, um dos maiores jogadores da história da Colômbia, usou o Twitter nesta quinta-feira para parabenizar seu compatriota Yerry Mina por uma transferência que ainda não se concretizou – ou ao menos ainda não foi anunciada: a da venda do zagueiro do Palmeiras para o Barcelona.

Asprilla, que jogou no Palmeiras, mas não no Barcelona, escreveu em catalão:

“Bem-vindo, Yerry Mina, ao Barcelona.”

No Twitter, Asprilla dá as boas-vindas para Yerry Mina... ao Barcelona (Foto: reprodução / Twitter)

 No Twitter, Asprilla dá as boas-vindas para Yerry Mina… ao Barcelona (Foto: reprodução / Twitter)

O Barcelona ainda não se manifestou sobre a transferência, enquanto Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras, disse nesta quarta que não tem interesse em liberar Mina agora em janeiro. Os clubes têm um acordo sobre a venda de Yerry Mina, e o Verdão conta com a venda do jogador em sua projeção de receitas para 2018, mas imaginando que ela seria concretizada só depois da Copa do Mundo. O Barça, porém, quer levá-lo já em janeiro. Para Asprilla, já está tudo certo.

Na Colômbia, a informação é que o Santa Fé, ex-clube de Mina e que ainda detém 20% dos direitos econômicos do jogador, já foi avisado sobre a venda do zagueiro para o Barcelona.

Mina não se reapresentou ontem com o restante do elenco palmeirense na Academia de Futebol. Ele ligou informando que só voltaria a São Paulo na sexta-feira. A diretoria o aguarda para uma conversa. Se Mina quiser antecipar a transferência, o Palmeiras vai abrir renegociação dos termos do acordo.

Mina, do Palmeiras, em foto de treino de 2017; ele não se reapresentou com o elenco na última quarta-feira (Foto: Felipe Zito)

A venda para o Barcelona está contemplada no orçamento para 2018. Em previsão entregue ao Conselho de Orientação Fiscal (COF), a diretoria incluiu R$ 27.057,600 referentes à possível transferência em julho. O valor se refere à conversão dos 9 milhões de euros (montante estipulado no vínculo com o Palmeiras) na época da contratação do jogador, em 2016. Para levá-lo agora, o clube espanhol tenta renegociar o arcordo e oferece mais dinheiro.

LEIA MAIS:  Possível substituto de Muralha, César não joga há quase 2 anos