O ‘caso Guerrero’ teve um novo capítulo na madrugada desta quinta-feira (16). Em informação apurada pelo jornalista da Rede Globo Eric Faria e dada pelo comentarista do SporTV Lédio Carmona durante a transmissão de Peru x Nova Zelândia, foi constatado, através de um exame feito com o cabelo do jogador, que o atacante deu negativo para o uso de drogas. O atleta do Flamengo teria tomado um chá contaminado, o que aumenta bastante a chance de sua absolvição no julgamento no próximo dia 30.

Guerrero havia sido suspenso pela Fifa porque testou positivo para a benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína. Por enquanto, o jogador está impedido de atuar preventivamente por 30 dias.

Entenda o caso
Guerrero testou positivo para benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, em exame antidoping realizado após o jogo entre Peru e Argentina, no mês passado. A partida era válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Por causa disso, a Fifa suspendeu o atleta por 30 dias preventivamente.

A defesa de Guerrero tentou interromper a punição da Fifa, mas o pedido foi recusado. Agora, o atacante continua impedido de atuar pelo Flamengo e pela seleção peruana.

Segundo a defesa, o metabólito benzoilecgonina – presente na cocaína – e encontrado na urina do centroavante do Flamengo é proveniente da folha de coca utilizada para chá consumido em diversos países da América do Sul. Os advogados apontam contaminação em um outro tipo de chá ingerido pelo jogador.

O bioquímico L. C. Cameron, que faz parte da equipe de defesa do jogador e é o coordenador do Laboratório de Bioquímica de Proteínas da UNIRIO, foi quem acompanhou a abertura da amostra B, em Colônia, na Alemanha. Guerrero fez o exame antidoping após o jogo do Peru contra a Argentina pelas Eliminatórias, em 5 de outubro.

A defesa de Guerrero tem que dizer como o metabólito da coca e da cocaína apareceu no organismo do atleta. O objetivo é provar que a substância foi ingerida sem a intenção e o conhecimento do jogador. Assim, a pena pode cair para dois anos.

No dia 26, o peruano e sua equipe de advogados terão de entregar à Fifa a defesa escrita e, então, aguardarem a realização do julgamento que será no dia 30, em Zurique, na Suíça.

LEIA MAIS:  12 jogadores em fim de contrato que podem trocar de clube em 2018